Polícia diz que meninas assassinadas em SP foram estupradas depois de mortas

Crianças de 3 anos desapareceram em setembro; dois suspeitos são presos

Polícia diz que meninas assassinadas em SP foram estupradas depois de mortas

 

SÃO PAULO — As duas meninas de 3 anos encontradas mortas na Zona Leste de São Paulo foram estupradas depois de serem assassinadas, segundo a polícia. Dois homens foram presos, nesta sexta-feira, acusados dos crimes: Marcelo Pereira de Souza, que confessou seu envolvimento, e Everaldo Jesus Santos.

A investigação preliminar não descartava que Adrielly Mel Porto, de 3 anos e 8 meses, e Beatriz Moreira dos Santos, de 3 anos e 11 meses, tivessem sofrido violência sexual.

Durante entrevista coletiva nesta sexta-feira, a delegada Ana Paula Rodrigues afirmou que, segundo Marcelo Pereira de Souza, as meninas foram atraídas pelos criminosos com doces. Marcelo contou ainda que elas foram mortas por asfixia.

— Eles levaram as duas até um barraco e disseram para as crianças que lá teriam mais doces. Eles mataram primeiro e depois estupraram as crianças — disse Ana Paula, delegada titular da 5ª Delegacia de Repressão a Crimes contra Crianças e Adolescentes do DHPP.

As meninas, que desapareceram no final de setembro, foram encontradas no feriado de 12 de outubro dentro de um veículo Fiorino, durante uma festa de Dia das Crianças no Jardim Lapena, após vizinhos sentirem um cheiro forte vindo do terreno onde estava o carro.

Continue lendo essa matéria